Perguntas frequentes

A posse responsável de animais (identificação electrónica, vacinação, saúde, condomínios, etc…)

Como nos pode ajudar?

Tornando-se sócio(a) (quota anual de somente 12€)

Fazendo-nos um donativo NIB: 0007 0000 00023823104 23

Inscreva-se como FAT (Família de Acolhimento Temporário), para cuidar temporariamente de animais, sobretudo gatinhos ou cachorrinhos bebés

Apadrinhando um animal de difícil adopção (por ex. com um deficiência ou idoso) - 30€ anuais.

A saúde

Vacinação e desparasitação

Recorde-se também de o vacinar mal tenha entre mês e meio e dois meses (e revacinar anualmente), contra a raiva (obrigatório), e todas as outras doenças que podem custar a vida do seu cão / gato, como a esgana, parvovirose, leptoespirose e outras;

Tão importante como a vacinação é a desparasitação interna. Deverá ser feita pelo menos de 6 em 6 meses e é absolutamente essencial;

Lembre-se também de o proteger contra parasitas externos, especialmente durante a Primavera, Verão e mesmo Outono! Pode utilizar uma pipeta, uma coleira, sprays e uma enorme panóplia de produtos, todos com o mesmo fim.

Lechemaniose e a Febre da Carraça

Evite que o seu cão durma no exterior ou vá à rua desde o anoitecer ao amanhecer que é quando o mosquito que transmite a terrível lechemaniose, tem mais probabilidade de picar o seu cão.

A lechemaniose tem cura?

Há actualmente, tratamentos muito eficazes e com muito bons resultados como o Milteforam. Fale com o seu veterinário.

Lembre-se que a esmagadora maioria das doenças do seu cão / gato não são, felizmente, transmissíveis aos humanos, por isso não se assuste com esse pormenor.

Se o seu animal se mostrar:

  • Triste;
  • Apático;
  • Sem apetite;
  • Com urina de cor carregada;
  • Com as gengivas pálidas;
  • Cambaleante;

Atenção, pode ser febre da carraça, uma doença cada vez mais comum e rapidamente mortal, mesmo que o seu cão não tenha uma única carraça. Corra para o veterinário, pois só um tipo de antibiótico o poderá salvar. Mas tem de ser rápido!!!

  • Para evitar a Febre da Carraça evite passear o seu animal junto de erva, relvados ou campo durante a Primavera, Verão e Outono. E proteja-o sempre com produtos anti-parasitários;
  • Sintomas como tosse, diarreia, (especialmente se esta apresentar vestígios de sangue), emagrecimento ou apatia, jamais devem ser ignorados. Não espere e dirija-se rapidamente a um veterinário.

Ah! Já agora previna uma data de doenças, destartarizando, simplesmente os dentes do seu cão.

O controlo de natalidade

Se não deseja que o seu animal se reproduza dirija-se a um veterinário e peça para que o seu cão, cadela, gato ou gata, sejam esterilizados. Evitará descendência indesejada e os problemas dai recorrentes.

A esterilização evita o aparecimento de numerosos tumores hormono-dependentes, aumentando a longevidade dos seus animais. A esterilização não provoca sofrimento ao seu animal, apesar de ser um procedimento cirúrgico e definitivo. Vale a pena!

A posse responsável de animais

A identificação electrónica

Identificar o seu cão, é obrigatório para todos os cães de caça, de raças perigosas e para todos os nascidos após 1 de Julho de 2008;

Não se esqueça de ir à sua Junta de Freguesia com o número do ‘chip’ para que o mesmo fique na Base de Dados Nacional, caso contrário a identificação electrónica não serviu de nada.

Férias

Procure na sua área de residência. é possível que exista um hotel canino / felino. A APAAE tem um. Parta de férias sossegado!

Mas lembre-se, um hotel para animais não é um local para os donos se esquecerem lá deles!

é, apenas, uma solução temporária, como temporárias são as férias, uma deslocação de trabalho, ou outra ausência.

A alimentação

Nós somos pelos alimentos secos (ração, croquetes, etc.). São mais saudáveis que as latas ou restos, mais higiénicos, económicos e um animal assim habituado mais facilmente se adopta às comidas dos hotéis quando é preciso.

A entrega dos animais nos Canis

No nosso não é fácil e, como passamos a explicar, nem pode ser. Cerca de 15 pessoas tentam, todos os dias, entregar-nos animais. Se multiplicarmos 15 por 365, compreendemos de imediato porque é que não pode haver facilitismos. Se se aceitassem, sem questionar, as razões dos entregadores, teríamos de fazer o que fazem, ainda, a maioria dos canis / gatis municipais - o abate. Porque não haveria espaço, meios e recursos para manter esse número assustador de animais.

Por outro lado as pessoas têm de compreender que não podem, por razões nem sempre muito claras, entregar os seus animais ao erário ou à caridade pública. A responsabilidade por um animal é do seu dono. E quando se adquire um animal é até que a morte os separe. Um animal não é um bem descartável, um objecto, um ser inanimado, é mais um elemento da família. Quando se muda de casa, por exemplo, temos de pensar que também temos de levar os nossos animais… é normal não é?!… Mas há quem não ache… E é por isto que milhares de animais são anualmente abatidos nos canis municipais de Norte a Sul do pais. Os donos entregam-nos por dá cá aquela palha. Talvez porque também os adquiriram sem pensar duas vezes.

São necessárias razões fortes e comprovadas para nos separarmos dos nossos animais e a APAAE não é, de todo, a solução. A APAAE luta contra o facilitismo e a irresponsabilidade, não pactua com eles.

O abandono e os maus tratos

O abandono é um acto punível por lei. Como os maus tratos a animais.

São maus tratos:

  • Correntes curtas;
  • Ausência de abrigo que proteja do frio ou sol intenso;
  • Alimentação insuficiente e / ou falta de água fresca e limpa;
  • Violência física;
  • Abandono;
  • Falta de assistência médico-veterinária;
  • Falta de atenção, isolamento, ausência de convivência;
  • etc…

O abandono é um acto cobarde e vergonhoso. Não hesite em denunciar um caso de abandono. Dirija-se a nós ou às autoridades policiais. No que nos toca garantimos confidencialidade

A chuva de benefícios em ter um amigo de 4 patas

Os animais trazem benefícios às crianças (com enfoque especial para as que têm problemas de diversa ordem), às pessoas que vivem sozinhas, aos idosos, doentes e pessoas deficientes. Existem estudos que demonstram que a posse de animais influi positivamente na saúde dos donos. Baixa a tensão arterial e os níveis de stress, prevenindo problemas cardiovasculares aos afortunados donos! Ah, e são uma boa desculpa para longas caminhadas e ainda ajudam a deixar de fumar!!!

Rafeiros ou animais de raça???

Rafeiros! Claramente! São mais saudáveis, resistentes, mentalmente equilibrados sem doenças congénitas ou características da raça e, para além disso, são sempre peças únicas!…

O que é urgente mudar em Portugal
  • Centros oficiais de recolha com modelos diferentes dos homologados e com muito mais capacidade para receber animais (o modelo Santuário Animal é uma excelente opção!)
  • Regras definidas para a entrega de animais nos canis / gatis municipais, como a apresentação de provas concretas da impossibilidade de os ter e taxas de entrega que contribuam para a sua manutenção e sobrevivência.
  • Uma acção policial mais sistematizada, permanente e estruturada.
  • Criação de consultórios veterinários municipais abertos aos respectivos munícipes enquanto alternativas à iniciativa privada.

A Lei

Os condomínios e os respectivos regulamentos

Não se assuste. Nenhum regulamento se pode sobrepor às leis nacionais! Por isso não podem proibir a permanência de animais no prédio.

Tem o direito de ter até três animais adultos e, por vezes, a descendência (art.º 3.º do Decreto-Lei n.º 314/2003 de 17 de dezembro).

No entanto lembre-se que nem os animais (nem as pessoas), podem fazer barulho de noite, sujar espaços comuns, emitir cheiros incomodativos, etc… Em suma, tudo o que as regras de boa convivência requerem! é normal.

Anormal é proibir animais nos condomínios, eles fazem parte da família humana que integram.

A deslocação/transporte de animais

A deslocação de Animais de companhia, nomeadamente (cães e gatos, em transportes públicos não pode ser recusada, desde que os mesmos sejam devidamente acompanhados e acondicionados de modo a não provocar danos (art.º 10º do Decreto-Lei nº 315/2003 de 17 de Dezembro).

A recusa em transportar animais que se encontrem nas condições estabelecidas no referido artigo, constitui contra-ordenação punível pelo Director-Geral de Veterinária cujos montantes podem atingir os 3740€.

O abandono de animais e os maus tratos

O abandono dos animais, o treino e/ou o maneio dos mesmos com brutalidade (pancadas e pontapés), assim como as lutas, constituem contra-ordenação puníveis pelo Director-Geral de Veterinária com coimas entre 500 e 3740€. As coimas a aplicar a pessoas colectivas podem elevar-se até aos 44890€. O não cuidar dos animais também é considerado abandono, assim como deixa-los à porta de um canil sem proceder à transmissão da guarda.

Em caso de maus tratos a animais deve denunciar à força policial da área da ocorrência PSP/GNR ou enviar denuncia para:

Direcção de Serviços Veterinários da Região Centro
Bairro de N. S.ra dos Remédios
6300-535 Guarda

A dimensão dos canis/gatis e demais instalações

Um recinto com as dimensões de 1,50m x 3m não poderá alojar mais que dois cães de raça média! Pense nisto…

Animais com menos de 2 meses de idade não poderão ser expostos para venda.

Se forem expostos em gaiolas, para além de terem de sair das mesmas, todos os dias para passear, não poderão ai permanecer por mais de 15 dias.

O seu cão tem problemas, precisa de um treino?

Aqui vão alguns dos truques do famoso Cesar Millan.
  1. Energia calmo-assertiva
    É a energia que deve projectar para mostrar ao seu cão que é um líder de matilha calmo-assertiva. Note que assertivo não quer dizer irado nem agressivo. Calmo-assertivo quer dizer tolerante e calmamente dominante.
  2. Energia calmo-submissa
    Em estado natural, é esta a energia apropriada a um seguidor, numa matilha, e desse modo a energia que um cão que vive com uma família de humanos deve projectar. Os sinais da energia calmo-submissa são, entre outros, atitude descontraída, orelhas para trás e uma resposta praticamente instintiva às ordens do líder.
  3. Exercício, disciplina e afecto… Por esta ordem!
    Estes são os três ingredientes que fazem um cão feliz e equilibrado. A maioria dos donos dá apenas afecto ou não satisfaz as três necessidades pela ordem correcta.
    1. Exercício – passear o cão pelo menos uma hora por dia de forma correcta.
    2. Disciplina – estabelecer, sem maus tratos, regras, fronteiras e limites.
    3. Afecto – uma recompensa que damos aos nossos cães e a nós mesmo, mas apenas quando o cão estiver calmo-submisso no seio matilha.
  4. A técnica da caminhada
    A caminhada é, para o cão, um ritual extremamente importante. Terá de faze-la pelo menos duas vezes por dia e durar entre trinta e quarenta e cinco minutos de cada vez, para que tanto o corpo como a mente possam exercitar-se. É importante que o dono haja durante a caminhada como líder. Isto quer dizer que o cão deve caminhar ao lado ou atrás dele – não à frente e puxando-o. Se o cão passear o ser humano, vê-se a si mesmo como líder da matilha, nesse momento o humano não está a liderá-lo.
  5. Regras, fronteiras e limites
    1. Os cães têm que saber claramente que o seu líder traçou as regras, limites e fronteiras das suas vidas tanto dentro como fora de casa.
    2. Ira, agressão ou maus tratos não vão estabelece-lo como líder um líder irado ou agressivo não domina as situações. A energia calmo-assertiva e um comportamento de liderança diário e consistente tornam mais fácil o estabelecimento das regras.
  6. Problemas
    Se um cão não estiver seguro de que o seu dono é um líder firme e estável não pode ter a certeza quanto ao seu papel no seio da matilha. Um cão que não sabe qual é o seu líder preocupa-se com a possibilidade da matilha não sobreviver; e por isso tenta preencher, com frequência de uma forma errática, o vazio de liderança. O resultado pode ser comportamentos agressivos, ansiedade, medo, obsessões ou fobias – aquilo a que chamo problemas.
  7. Equilíbrio
    Um cão equilibrado está no estado em que a mãe Natureza quer que ele esteja – o de um seguidor calmo-submisso; satisfeito fisicamente com exercício, psicologicamente com regras, limites e fronteiras e emocionalmente com o afecto do seu dono.
  8. Treino de cão
    Condicionar o cão a responder às ordens – deita, para, vem cá, senta – não tem nada a haver com o que eu faço.
  9. Reabilitação dos cães
    É precisamente o que eu faço: ajudo os cães com problemas a voltarem ao estado equilibrado de submissão calma. Por vezes pode parecer que eu resolvo instantaneamente os problemas dos cães, mas, como costumo dizer um cão não é um aparelho que possa ir a loja para reparações. A reabilitação permanente de um cão só é possível com um dono calmo-assertivo, estável e consistente.
  10. Nariz, olhos, ouvidos… Por esta ordem!
    Recordo aos donos que um cão vê o mundo de uma forma diferente da nossa. Nós comunicamos usando primeiro os ouvidos, depois os olhos e por último, o nariz. Os cães começam pelo nariz, em seguida os olhos e por fim os ouvidos. Deixar um cão sentir o nosso cheiro antes de estabelecermos contacto ocular ou falarmos com ele é uma forma de estabelecermos confiança desde cedo.
  11. Humanizar um cão
    Muitos donos cometem o erro bem-intencionado de pensarem nos seus cães como crianças. O meu concelho é que os donos tentem ver o mundo através dos olhos dos cães. Roupas bonitas, comida de luxo e uma mansão sumptuosa não fazem um cão feliz. Exercício regular, um líder firme e estável e afecto merecido resultarão num cão calmo e equilibrado.
  12. Treino de pessoas
    Muitos donos quando me chamam, partem do principio que o seu cão tem um problema qualquer. Eu tento fazer ver às pessoas que o seu próprio comportamento tem grande influência no animal; e dou sugestões no sentido de os donos se treinarem a si mesmos para serem líderes de matilha calmo-assertivos.
Se desejar saber mais:
  • A Paixão de César — Cesar Millan – Casa das Letras
  • A Encantadora de Cães — Jan Fennel – Publicações Europa-América
  • O que é que o meu cão está a pensar? — Gwen Bailey – Editorial Presença
Adoptar
      Fazemos Tosquias, Banhos e temos Centro de Férias para o seu animal. Vamos buscar o animal ao seu domicílio.           Fazemos Tosqui
«  Junho 2015 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1234567
891011121314
15161718192021
222324252728
30 

Inquérito

Um inquérito da iniciativa da APAAE foi levado a cabo junto de todas as turmas do 12º ano das escolas de Castelo Branco, pelos respetivos Diretores de Turma, sobre o que estes jovens, pensam acerca da realização de touradas.
Revelou que 80% dos inquiridos são contrários à realização das mesmas.
Um número tão expressivo deverá fazer-nos refletir.

10 Mai 16

Consulázaro, 3º Aniversário

O Consultório Veterinário da APAAE assinala três anos ao serviço do bem estar de todos os animais de todos os donos.
Consultas, RX, ecografias, vacinas, castrações, banhos e tosquias.

10 Mai 16

Comunicado da APAAE

Esterilizar e Castrar é Amar»»

09 Mai 16

18 Anos sem Abates

A APAAE comemora em 2016, dezoito anos sem abates no concelho de Castelo Branco.
Esperemos que rápidamente este novo paradigma deixe de ser exceção e passe a regra em todo o país!

06 Mai 16

Comunicado da APAAE

Tourada em Castelo Branco»»

29 Jun 15

mais notícias…

seguenos